Sintra avança com recolha seletiva de resíduos alimentares

Sintra avança com recolha seletiva de resíduos alimentares

O Município de Sintra avançou, em outubro, com um novo sistema de recolha seletiva de resíduos alimentares. O novo sistema de recolha seletiva de resíduos alimentares, implementado pela Câmara Municipal e pelos SMAS de Sintra, assenta no lema “Bio-recursos: demasiado bons para desperdiçar!”

Este é um projeto inovador que pretende incutir na população práticas diferenciadas no tratamento e destino final dos lixos orgânicos e que se enquadra nas políticas ambientais definidas pelo município para o concelho de Sintra. O projeto de recolha visa contribuir para a valorização e gestão mais eficaz e eficiente dos recursos disponíveis. Neste projeto, os bio-recursos ou bio-resíduos (resíduos alimentares e outros lixos orgânicos) são submetidos a um processo específico de reconversão e reutilização com repercussões positivas no meio ambiente, uma vez que a diminuição da presença de resíduos orgânicos nos lixos indiferenciados traduz-se, no final, numa melhoria da fertilidade dos solos e na produção de novas formas de energia. 

Numa primeira fase, o novo sistema de recolha e deposição seletiva de resíduos alimentares será posto em prática com um projeto piloto que abrange 4 752 fogos habitacionais em 15 áreas geográficas diferentes. Nestas zonas piloto serão distribuídos, por cada fogo habitacional, contentores apropriados e sacos específicos para deposição destes resíduos.  Os contactos com os 4 752 fogos envolvidos nesta ação piloto serão estabelecidos, por telefone ou porta-a-porta, depois de concluída a distribuição de materiais informativos nas caixas de correio e divulgação do projeto nos canais oficiais.

Nesta fase, será ainda levada a cabo uma ação de informação e sensibilização sobre a importância da separação de lixos, as mais valias ambientais e as vantagens de adesão a este novo projeto, que passa por uma menor produção de lixo indiferenciado - o que implica um menor esforço e tempo gastos na gestão doméstica dos resíduos-, redução do espaço ocupado em aterros e maior aproveitamento de recursos para energia e composto orgânico. 

A inovação tecnológica e as estratégias ambientais definidas localmente em Sintra para a valorização, reciclagem e reconversão destes recursos biológicos são responsáveis por um crescimento económico que se quer mais ecológico e inteligente, num contexto de uma economia circular que permitirá, a médio e a longo prazo, uma gestão macro e progressivamente mais sustentável do planeta Terra.

Os “Bio-Recursos” recolhidos serão transformados em composto orgânico ou energia, alavancando-se desta forma poupanças públicas e privadas na gestão dos resíduos urbanos, tendo igualmente em vista as metas preconizadas para o país no PERSU 2020+.


PARA ADERIR AO PROJETO: 910 443 505

Saiba mais AQUI

Imprimir