Dia Internacional da Vida Selvagem

visa_selvagem
Categoria
Datas comemorativas
Data
2021-03-03 00:00

O Dia Internacional da Vida Selvagem celebra-se a 3 de março. O objetivo deste dia criado em 2013, pela Organização das Nações Unidas (ONU), é celebrar a fauna e a flora do planeta, assim como alertar para os perigos do tráfico de animais de espécies selvagens.

O Concelho de Sintra tem uma enorme variedade de plantas, animais e habitats. É uma região privilegiada que contém zonas com características morfológicas que permitem a instalação de uma biodiversidade única e esta é também uma das razões para que grande parte do concelho esteja classificado como Parque Natural.

Para além de ser um privilégio, representa também uma responsabilidade para todos os que lá residem e para quem visita os espaços naturais sintrenses. O respeito pelas regras de conduta é essencial à preservação de um património que é de todos e que importa deixar como legado às futuras gerações para que possam desfrutar deste maravilhoso recanto da natureza.

A vida selvagem depara-se constantemente com ameaças tais como, a poluição, as alterações climáticas, o ruído, os atropelamentos nas rodovias, o uso de veneno ou de armadilhas, mas também a proliferação de espécies exóticas invasoras, entre muitas outras que funcionam como importantes focos de destruição de vida e de habitats.

A proteção de todas as formas de vida, nomeadamente, espécies de animais e plantas selvagens, são indispensáveis à sobrevivência humana e indissociável das atividades económicas mundiais. A verdade é que seres de dimensões muito reduzidas controlam a vida na terra e fazem a diferença entre existir uma alimentação variada e nutritiva e não existir nada para comer. Muitos são os insetos que polinizam as culturas, serviço que permite o usufruto de grandes lucros económicos, como é o caso da agricultura na Europa cujo valor é estimado em 22 mil milhões de euros por ano. Mesmo os animais que nem sempre são amados, como é o caso dos répteis, desempenham um papel fundamental na diminuição de pragas, como por exemplo a de ratos.

Atualmente, quase metade dos mamíferos e um terço dos repteis, peixes e aves da Europa estão em perigo, principalmente pela diminuição dos seus habitats, mas estes números têm tendência a aumentar à medida que as zonas urbanas e as vias de comunicação se desenvolvem.

 

 

 

 

 

 
 

Todas as datas

  • 2021-03-03 00:00