Dia Mundial das Zonas Húmidas

imagemDiaMundiaZonasHumidas
Categoria
Datas comemorativas
Data
2021-02-02 00:00

Desde 1997 que se celebra, a 2 de fevereiro, o Dia Mundial das Zonas Húmidas, assinalando a adoção da Convenção de Ramsar, em 1971.

Esta Convenção, visa promover a cooperação internacional na conservação de Zonas Húmidas de Importância Internacional, especialmente como Habitat de Aves Aquáticas, incentivando à sua conservação e à adoção de medidas que fomentem a sua gestão sustentável.

De acordo com a Convenção, “as zonas húmidas são áreas de pântano, charco, turfa ou água, natural ou artificial, permanente ou temporária, com água estagnada ou corrente, doce, salobra ou salgada, incluindo áreas de água marítima com menos de seis metros de profundidade na maré baixa”.

Portugal ratificou Convenção de Ramsar em 1980, tendo, atualmente, 31 Zonas Húmidas de Importância Internacional (Sítios Ramsar) classificadas ao abrigo deste tratado, 18 no território continental e 13 no Arquipélago dos Açores, totalizando uma área de 132,487 hectares. Destes Sítios, três localizam-se na Área Metropolitana de Lisboa (AML), sendo eles o Estuário do Tejo, a Lagoa de Albufeira e o Estuário do Sado.

Os Sítios Ramsar são selecionados com base na sua importância internacional em termos ecológicos, botânicos, zoológicos, limnológicos ou hidrológicos, mas com especial enfoque na sua importância para a proteção das aves aquáticas.

Por outro lado, qualquer zona húmida, mesmo que não esteja classificada como de interesse internacional, tem uma elevada importância ecológica e económica, providenciando indispensáveis serviços de ecossistema:

Zonas húmidas saudáveis, são importantes refúgios de biodiversidade, quer a nível da flora, quer da fauna, sendo habitat de diversas espécies de aves, mamíferos, anfíbios, répteis, peixes, insetos, entre outros, algumas destas espécies ameaçadas de extinção, outras com valor alimentar e económico. 

Se apenas 2,5% da água do Planeta corresponde a água doce, menos de 1% está disponível para as sociedades humanas, encontrando-se, na sua maioria, nos rios, lagos e pântanos. Assim, as zonas húmidas são importantes reservatórios de água doce. Além disso, se as florestas são comummente consideradas “os pulmões” do Planeta, nas zonas húmidas são consideradas “os rins”, por desempenharem funções de filtragem e purificação da água, permitindo ao ser humano encontrar e utilizar reservas de água potável.

Têm ainda um importante papel na regulação das cheias, no sequestro de dióxido de carbono e produção de oxigénio, e na provisão de alimentos (são exemplo, além de alimentos de origem animal já mencionados, os arrozais e as salinas).

Segundo os cálculos da Agência Europeia de Ambiente (AEA), o valor global dos serviços gerais oferecidos pelas zonas húmidas pode rondar os 2,5 mil milhões de euros por ano!

Em 2021, o tema desta efeméride é “Zonas Húmidas e a Água”, lembrando, assim, a importância da preservação destes ecossistemas para a proteção deste recurso cada vez mais escaço e indispensável à vida e saúde das populações humanas, que é a água doce potável.

Preservar as zonas húmidas é fundamental para a proteção dos recursos dulciaquícolas e a nossa própria existência.

 

 

Mais informações aqui:https://www.worldwetlandsday.org/ e 

https://www.icnf.pt/oquefazemos/materiaisinformativoseeducativos/zonashumidas?fbclid=IwAR3umUoKXPN2R5A45eKdkWOd2NCJiSNFdbBzwo4dgZIBuc-4MFDEkwPKVUM

 

 

Convenção de Ramsar (PT) aqui: https://gddc.ministeriopublico.pt/sites/default/files/documentos/instrumentos/dec101-1980.pdf

 

 

 
 

Todas as datas

  • 2021-02-02 00:00